expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

21 de mai de 2016

DIÁLOGOS FRAGMENTOS



    Novo tipo de post: Diálogos imaginados e descritos fora de contexto. Muitas vezes escrevo diálogos aleatórios, sem pensar em uma história real de fundo, apenas um discurso com mediador interno. Resolvi compartilhar alguns com vocês queridos leitores. Espero que gostem.



- Então, você não acredita no amor?

- O que quer dizer?

- Não acha que ele existe?

- Eu acredito no amor, só não acredito que ele dure.

- Então amor sim, mas eternidade não?

- Posso dizer que sim, afinal, o que podemos dizer sobre a eternidade se somos mortais?
o que de fato sabemos sobre a eternidade? As pessoas tem visões muito romantizadas sobre a vida.

- Mas se formos colocar dessa forma, o amor em que acredita não é paixão? A paixão é extinta com o tempo mas o amor permanece.

- Quem disse? O amor é quase que uma coisa imposta as pessoas para que sintam, é quase uma obrigação sentir afeto pelas pessoas. Você ama seus pais, seus irmãos, seus amigos e qualquer outro grupo de pessoas que convivam com você, e se você disser que não ama, é insensível, é frio, é ruim, amargo, estranho, falso, arrogante e ingrato.

- É o que todos sabemos, paixão é uma reação química do organismo, e o amor é um afeto crescente, puro e real. O que isso quer dizer? Que você foi obrigada a amar os seus pais? Que não acha isso natural?

- O que estou dizendo é que o amor existente a que todos se referem, o eterno, que é este que você nutre pelas pessoas que lhe são próximas, é um amor construído, amor que você aprende, vai sentindo-o crescendo aos poucos porque é o que você conhece, são as suas referências, você é refém dos seus sentimentos familiares, é o que você é, e todo mundo ama tudo que é sobre si mesmo. Nós aprendemos a amar nossos pais e família. Não é como se você soubesse direcionar o sentimento, portanto dizer que amor é um sentimento involuntário, que você simplesmente acaba por sentir por alguém é ridículo, isso é paixão, isso é química, é reprodução humana, é biologia! Não me venham com os eternos e "para sempres" porque não há nada a que se basear para prometer um "para sempre" a alguém. E olha que pode parecer que sou uma pessoa indiferente e fria, mas muito pelo contrário, sei muito bem como é sentir aquela conexão e intimidade incrível de achar que quer passar seu tempo para sempre com aquela pessoa, e de repente nada disso fazer mais sentido algum.

- Mas a partir desse sentimento de paixão nasce o amor, a partir desta conexão e necessidade e atração, nascem todas as coisas provenientes do amor, como: a confiança, a admiração, respeito, segurança, lealdade e amizade. E são todas essas coisas que fazem as pessoas se amarem mais e mais, o sentimento não para de evoluir, a não ser que hajam muitos problemas de confiança, decepções e essas coisas..., o caso é que realmente não há como prever o que está por vir, mas ainda assim as pessoas apostam no "para sempre" porque vale a pena se arriscar por aquilo em que se acredita, e todo mundo sempre acredita naquilo que sente. Talvez o amor seja mesmo construído, mas isso não quer dizer que ele não seja verdadeiro, o aprendizado a que você se refere é natural, não é como se você dissesse "Hey tenho que me acostumar a amar o meu pai" é apenas como as coisas acontecem, mas ninguém se dá conta de que está "aprendendo" a amar alguém, o sentimento se torna involuntário de qualquer forma.

- Meu ponto é: O amor existe? Sim, ele existe e eu acredito no poder que ele exerce sobre as pessoas, porém, podemos dizer que ele dura? É para sempre? Isso faz diferença?. Não entendo por que as coisas precisam durar para serem importantes, por que elas não podem simplesmente acontecer de maneira gloriosa e depois deixarem esse momento ir? Por que é que todo mundo tem tanta dificuldade em deixar as coisas irem embora?. O fato de um sentimento se dissipar não quer dizer que ele não tenha sido verdadeiro. Mesmo que as pessoas acreditem na eternidade das coisas, e não estou dizendo que é errado apostar nisso, apenas digo que não o faço, pois não acredito em tal coisa. As pessoas são efêmeras, estamos mudando constantemente enquanto os minutos passam, portando nossos sentimentos são tão efêmeros como nós, como posso acreditar que algo perdura, quando nem mesmo minhas convicções e pensamentos e vontades não perduram? E não digo isso de forma em que pareça que não tenho personalidade, ou opiniões e valores e princípios, pois os tenho até demais, de forma que me atrapalha as vezes, mas não aposto nisso, gosto de eternizar meus momentos e minhas memórias, mas não posso eternizar algo que está para acontecer, não faz sentido pra mim. Por isso não acredito também no casamento. E o lance todo da família, o negócio é: Se você não pertencesse a sua família, e conhecesse seus pais como pessoas, sem nenhum sentimento envolvido, sendo completamente imparcial, você gostaria deles? Os admiraria? Os respeitaria e os amaria? Talvez não, mas as pessoas não tem essa opção quando se trata de pensar na família, ou as vezes até mesmo nos amigos, porque essas pessoas são sua família, te amam e te tratam bem, ninguém jamais pensa em como seriam as coisas se você não fosse você, se colocando na pele de outra pessoa.

- As pessoas não querem abrir mão do amor, não querem deixar com que ele escape. Todo mundo procura algo para se prender, todos pregam sobre a liberdade mas ninguém realmente busca por ela, as pessoas buscam algo para acreditar, para se prenderem, para se firmarem, e quando conseguem não podem deixar isso ir. É como se tirassem seu chão, ficam perdidas não sabem em quê se apoiar, portanto dizer que vai se prender ao momento e depois deixar isso ir é algo que poucos vão dizer, as pessoas querem mais e mais momentos, mesmo que talvez os outros possam não ser tão gloriosos como os que já se passaram, querem ter alguma coisa, e um momento pra se lembrar não significa tudo isso para as outras pessoas como pra você. Mesmo que sejamos assim efêmeros, o fato de não ser para sempre a mesma versão de você torna tudo mais incrível, depende da linha de pensamento em que sua mente se dirige, para pessoas mais positivas o fato de essa pessoa poder evoluir sobre si mesma é maravilhoso, estar do lado de uma pessoa que você já acha incrível e isso poder melhorar? Quando estamos apaixonados não pensamos em como essa pessoa pode piorar, em como ela um dia pode te desapontar. Não vemos isso porque nos parece surreal um ser humano que te faz tão bem de repente acabar lhe fazendo mal, mesmo que as relações humanas se baseiem em decepções quando estamos colocando sentimentos demais. Entendo todo o lance racional, e você provavelmente está certa, mas tenho essa perspectiva mais romântica sobre me conectar com alguém, e acho tudo isso incrível, não vejo como eu poderia me bastar tanto e ser tão auto suficiente. Acho que não podemos dizer isso sobre todas as famílias, mas se conhecesse meus pais eu os amaria com certeza. Mas claro, entendo seu ponto.

- É engraçado você dizer que as pessoas dispensam a liberdade em nome do amor. De fato estamos presos quando nos apaixonamos, todas as vezes que sua racionalidade vai pros ares pelo sentimentalismo, você perde o controle e isso quer dizer que está preso e claro, todos querem se prender a esse tipo de coisa, porque a liberdade só é valorizada por aqueles que não a possuem. Não sou auto suficiente, antes eu pudesse ser assim, antes eu me bastasse, não sou, sou uma pessoa contraditória e talvez até mesmo hipócrita, pois mesmo sabendo e acreditando em tudo o que eu disse, quero toda a confusão do sentimentalismo exagerado e alterado, quero todas as dúvidas e o descontrole e a prisão dos sentimentos, todos sempre querem se conectar. Acredito que a possibilidade da conexão humana é irresistível, sempre nos perdemos nela porque é tão interessante a personalidade das pessoas, como elas são, como elas agem em determinadas situações as quais não tem controle sobre si mesmas ou sobre nada; e sempre que há uma possibilidade, mesmo que seja remota não importa, porque sempre temos uma estranha esperança quando se trata da conexão humana, é tentador demais, irresistível e fascinante, então todas as vezes que temos um vislumbre de que ela possa acontecer investimos, porque a conexão humana é uma das coisas mais poderosas que existem, e inconscientemente estamos em busca dela. Acredito que sempre queremos nos conectar com outro mundo particular, com outro ser humano.

- Não pensei que acreditasse nisso, achei que não acreditasse em coisas que se baseassem em pessoas, porque tudo o que se remete a um ser humano tem a probabilidade de ser falso. Acredito que todos anseiam em estar aprisionados por outra pessoa, faz sentido se prender a alguém quando pensamos sobre o que se trata a vida. Se passarmos a vida inteira sem nos conectar com ninguém o que estaríamos fazendo então? É difícil dizer se existe um sentido na vida de qualquer maneira, mas acho que uma das formas de dar sentido a própria vida é se interligando com outras, e a tal conexão mencionada por você é nada mais que isso. Conhecer um mundo interior completamente diferente do seu... isso me faz pensar em quantos mundos existem dentro deste mesmo espaço em que compartilhamos, tudo é um mundo, cada pessoa, cada organismo vivo, e falo dos insetos, dos animais, micro-organismos, fungos, tudo isso é um mundo, o qual nem mesmo enxergamos, mas sabemos da sua existência. Quando pensamos em quão pequeno é o nosso planeta em relação ao universo, todas as coisas que pensamos ser importantes neste nosso mundo particular caem por terra, por que deveríamos nos importar com as imposições sociais, a decadência humana e podridão social ao qual estamos, se nada disso tem impacto sobre o universo? O mundo? Somos apenas matéria, somos pequenos e sem grande impacto para as grandes coisas, e não digo isso como se fôssemos criaturas medíocres, mas sim como... há tantas coisas mais importantes e maiores que nós, por que nos importar com tamanhas banalidades? Acho que ter a consciência disso é o mais incrível.

- Todas as coisas que existem tem a probabilidade de serem falsas, tendo ligação com as pessoas ou não, acho que mesmo que uma pessoa tenha sido falsa em relação ao que ela compartilhou com você, a conexão continua sendo verdadeira, porque é mais do que uma troca sobre o que você acredita e o que sente, existe algo inominável acontecendo quando duas pessoas têm um entendimento mútuo, e esse sentimento de se preencher do outro é verdadeiro, mesmo que as informações trocadas não sejam; é algo para se guardar, é uma sensação... bem, talvez seja um sentimento induzido de forma falsa, mas a sensação é verdadeira e acho que é o que guardamos. O sentido da vida? nossa... é uma questão quase impossível. Não acredito que exista um sentido para a vida, a vida não tem ou não faz o menor sentido... o sentido da vida é o que você quer que seja a sua vida, quem dá o sentido é você, e aí existe um conflito sobre se você mesmo atribui sentido pra sua vida, não é real, se você precisa responder essa questão é porque não tem o que ser respondido... acho que tudo depende do que é que você acredita, quando não acreditamos em nada, tudo perde o sentido, e assim não tem porque continuar... geralmente as pessoas continuam por medo, por não terem outra coisa a fazer, e principalmente por terem esperança, no fundo todo mundo acredita que vai encontrar a saída, que vão achar o motivo de estarem aqui, ou se forem as pessoas positivas, só agradecem por mais um dia e aproveitam, cada visão tão diferente... . Os mundos, eu adoro essa visão de mundo, me faz sentir que não importa o quão tola eu fui ou posso ser, quando somos tão insignificantes em relação ao universo nada é tão grande ou tão importante, as coisas são tão maiores que eu... por que eu deveria me preocupar? É justamente pela nossa consciência que nós humanos somos tão incríveis, esse raciocínio, essa capacidade... é isso que me faz acreditar em Deus.

- Realmente me surpreende que alguém tão... realista acredite em Deus. Quando nos sentimos pequenos, insignificantes em relação a grandiosidade das coisas, perdemos uma carga pesada de responsabilidades, parece que nada é mais assim tão importante, e nossa vida ordinária ganha uma espécie de redenção, parece alívio, aceitação... é consolador. O que quer dizer com todas as coisas da vida terem a probabilidade de serem falsas? Como você pode dizer que uma sensação é real quando provém de situações falsas, e ao mesmo tempo dizer que o que está sendo real e materializado pode ser falso?

- Quero dizer que: como você pode afirmar que esta conversa a qual estamos envolvidos está realmente acontecendo? Como pode ter certeza sobre qualquer coisa da vida? Não existe nada para se firmar e acreditar ser real, se fôssemos apenas hologramas e um reflexo do mundo, como diz a teoria das cordas, isso não seria real, seria um reflexo, um sonho... a sua imaginação... então como pode me dizer que isso está realmente acontecendo?

- Ok acho que ultrapassamos o limite das conversas existenciais... o que quer dizer com como posso ter certeza sobre essa conversa? porque estou aqui agora olhando pra você, neste momento enquanto você ri das minhas reações faciais, porque - ele finalmente estende as mãos e pega a minha mão da mesa a segurando firme - estou te segurando e essa materialização é informação suficiente pra acreditar que isto está acontecendo, porque tenho a sensação mútua de conexão agora mesmo.

- Exatamente! Você se baseia em suas sensações pra dizer que algo é real ou não, por isso mesmo que minhas sensações venham de situações falsas, elas são reais e por isso... verdadeiras! É por isso também, que quando estamos embriagados não temos uma sensação nítida dos acontecimentos das coisas o que nos leva a extremos... temos a sensação de que nada é real, muitas vezes nos sentimos em uma espécie de sonho induzido, essa falta de controle e sensações nítidas do real é o que levam as pessoas a beberem, mesmo que muitas não pensem nisso.

- Cara, você absolutamente me pregou uma peça agora, tudo bem, argumento aceito! Não consigo refutar isso! Mas calma que eu ainda venço um debate de argumentações contra você!. Ele disse sorrindo, ainda sem soltar minha mão.

- Não sabia que estávamos em um debate de argumentações! Que absurdo, você só estava querendo mostrar intelectualidade superior em todo esse tempo? seu ridículo! - disse não podendo conter as risadas.

- Sempre estou em busca de chocar você com alguma coisa, mas você sempre o faz antes de mim.

Ele beija minha mão e saímos da cafeteria.



Mariana Carolina.

Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente!