expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

14 de dez de 2014

FLUXO DE PENSAMENTO




A dor a tristeza e o ódio
São combustíveis,
São necessários, se você precisa ser forte na vida
Sem dor não há aprendizado
Sem tristeza não há valorização das coisas
Sem ódio, não há vontade de mudança
Sentimentos, emoções, pensamentos...
Do que realmente somos feitos?
Sei que não é de sonhos, mas de esperança
Por mais que a desprezemos
Ela está lá, querendo ou não
A última que morre, de fato.

O clichê da existência
É difícil aceitar que a nossa vida
é feita de clichês
toda ela, do início ao fim
Porém, nas entrelinhas de algumas vidas
Há também as ironias, as sátiras
Nem sempre as tragédias fazem parte
Mas isso não importa,
Pois o que o mundo não faz
Nossa cabeça inventa,
Faz sozinha, se sabota
Cria armadilhas...
A autodestruição
É a guerra do século.

Aquela que você luta 
Todo dia, dentro de sí mesmo
Há dias que perde, há dias que ganha
sempre disputando autonomia
Sobre sua própria vida
Acabar ou não acabar?
Eis a questão
Morrer, viver
Como se tivéssemos escolha.

A dor é bem vinda
Quando sabemos o quanto o sofrimento é útil
Não sei como vocês vêem as coisas
Mas eu vejo beleza na dor
A tristeza que trazemos nos olhos é impressionante
Tocante, marcante, profundo, belo.
O sofrimento é genuíno
Traz nobreza as pessoas
"Dignificam o homem"
Sobretudo aquele que escondemos dos outros
Aquele que só você sabe que sente
O que te faz derramar lágrimas mudas
Na ausência de luz.

Avassaladora melancolia
Se soubesses
Quanta falta me faz
Não a vejo mais
Velha amiga
Por onde andas? Consolo da dor
Me abandonaste
E agora só me sobra o nada
O vácuo, vazio
Vazio que não preenche
Vazio que não consola
Vazio que não distrai
É apenas um buraco negro
Que suga tudo pra dentro
Sem devolução.

Me encontro a um tempo 
No mesmo estado,
O estado de espera
É pior que esperar na janela
Pois onde estou, não há vislumbre de esperança
Apenas a sombra do escurecer dos dias...
Dias e dias passam rápidos como um suspiro
Mas intermináveis são os meses
Os anos parecem eternos
Pois sempre nos enxergamos no mesmo lugar
Mesmo impasse, mesmo conflito
E por mais que saibamos,
Que tudo é passageiro
Esperar a chegada do futuro
É utópico
O presente suga, envenena, polui
A desintoxicação é feita pelo afastamento
Reclusão
É lenta, mas eficaz
Porém, não duradoura
Pois o ser humano impregna tudo onde toca
O contato humano é tóxico.

Todos temos uma condição de vida
A condição muitas vezes
Controla atitudes
Determinam nossos movimentos
Mexem com a estrutura de nossos objetivos
Onde está a liberdade afinal?
O livre arbítrio de Deus
É contrário a liberdade condicionada dos homens.
É mesmo verdade que as pessoas procuram pela liberdade?
Afinal, é certo que a maioria não sabe o que fazer com ela
Perde o sentido, o propósito
Todos querem algo pelo qual buscar, pelo qual lutar
Isso já não contraria o significado de liberdade?
Devem saber que quando há algo a buscar
Existem regras para atingir o tal objetivo proposto por sí
Se tem ideais pelo qual lutam
Há regras a seguir para conquistá-los 
Mesmo que as imposições sejam feitas por vocês
Admitam
Não há liberdade nem mesmo de vocês para consigo
A liberdade não existe
É um mito
Assim como a felicidade.
As pessoas não querem liberdade
As pessoas buscam o tempo todo se prender a alguma coisa
Uma coisa que vire necessidade
Algo que seja fundamental, indispensável
Porque viver para si mesmo não traz satisfação alguma.

É por isso que a vida não faz sentido.
Veja bem, se você se prende a algo
É imbecil o bastante para aceitar 
Todo o sofrimento proveniente de algo que não se pode controlar,
Assim é incalculável todos os transtornos e consequências de se prender
a uma coisa efêmera como um ser humano, por exemplo.
Pessoas que se apaixonam são vistas como idiotas 
Hoje em dia, até mesmo as relações de afeto 
São pragmáticas e regidas por regras de conveniência.
Então quando nos negamos a tais ações
Seja por discordância, insegurança, indiferença ou apenas falta de oportunidade
Somos estranhos, loucos, solitários ou mesmo otários
O nome que dão não importa
O caso é que ser livre de sentimentos alheios
Não traz nada, nem de bom, nem de ruim
E a falta das experiências ou dos acontecimentos
Ocasiona numa estagnação.
Sem as pessoas, os conflitos não mudam
Não há crescimento pessoal
A vida não se altera
Portanto, sempre estamos em busca da submissão
Sempre nos submetemos a algo
E a liberdade só é valorizada por quem não a possui.

Quando penso no dia mais feliz
Da minha vida
Vejo o quão banal ela realmente é
Pobre vida ordinária desperdiçada
As vezes penso em quanta diferença
Se faria, se outra pessoa habitasse este corpo
Sei que tem certas existências 
Mais dispensáveis do que a minha,
Mas sempre penso em como poderia ser aproveitada
Basta observar o mundo 
Para saber que a existência humana
Não é seletiva
Deixam qualquer um existir aqui
E a frase:
"Se a sua existência não deixa a vida de ninguém melhor, ela é inútil"
Já não tem efeito
Afinal ninguém tem culpa de existir
E portanto, 
Se queremos fazer algo produtivo aos outros ou não
É escolha nossa
E essa é a única liberdade que temos
Ser bom ou não ser?
E isso existe?
Basta saber que pra tudo o que existe
É necessário que haja também o seu extremo oposto.
Não poderia existir luz
Se não houvesse escuridão
Não poderia haver bondade
Se não existisse a maldade
Não poderia haver paz
Se não existisse também a guerra
Não seria possível saber sobre um sem o outro
Como julgaríamos se algo é doce
Se nunca provamos o amargo?

O mundo é um lugar cruel
A condição da vida é brutal
Difícil mesmo é saber de tudo como é
E aceitar as coisas tais como são
Sem ilusões, apenas a realidade
E ainda assim continuar
Onde está a sua força?
Incrível mesmo, 
É levantar todos os dias e sair da cama
Sabendo que terá um dia de merda
Mas seguir assim mesmo
Porque não somos donos de nossa vida
Vivemos pelos outros
Que precisam mais de nós 
Do que nós deles.
Portanto, enquanto choramos ao final dos dias
E acordamos prontos pra outra
Estamos no estado de espera
O esperar da mudança das coisas
Da passagem do ordinário
Do alterar de perspectiva
Mas por enquanto,
Estamos cansados e vazios
Como no poema: Voltas para casa de Gullar
Onde o "Amanha ainda não será outro dia"

Mariana Carolina.

26 de jul de 2014

CARTA: DESCONSTRUÇÃO DOS RELACIONAMENTOS.


 Em resposta ao meu amado irmão. Dedico este texto a ele.


     " O homem só conserta mesmo, quando aparece uma mulher na vida dele". Quanto privilégio masculino não é mesmo? Utilizar de tal desculpa para se livrar de obrigações sociais impostas e de sobrevivência. Se uma mulher esperar por um homem que virá "consertar" a vida dela, ela está ferrada! Perdida. Não era esse o conto de fadas mais recente? A espera do príncipe dos milagres? E ainda diziam que a mulher era a idiota a espera de algo pateticamente absurdo. Pois lhes digo que o homem que espera por tal "incentivo" e "motivação" de vida é igualmente idiota, patético e fraco. Não entendo o porque das pessoas precisarem de outra para fazer as coisas que lhe são necessárias. Sim, necessárias! Você não precisa de uma família pra correr atrás de um diploma, de um emprego, de uma casa e de um carro. Isso é o mínimo que você pode buscar como pessoa cidadã, é o mínimo que se espera que você consiga para ter independência financeira, e por que não emocional?. Isso é o que uma mulher lutou para buscar, algo que antes não lhe era acessível, e agora que conseguimos o direito de buscar coisas por nós, vocês querem regressão? Vocês querem que outra pessoa se disponha a acreditar num sonho que é seu, e nem você mesmo está tentando construir?.
     Sabem é uma pena que os relacionamentos sejam baseados em uma troca de necessidades. Preciso de você para querer ter um filho. Preciso de você para querer ser bem sucedido, afinal com o que eu poderia gastar além de mim? Não tem sentido. Preciso de você para aprender a dançar. Preciso de você para ir aos eventos. Preciso de você pra não ser a pessoa que a família pergunta: E os namorados? como é que anda?. Preciso de você para ter uma desculpa pra não ir as baladas com os amigos; porque uma pessoa normal não pode não gostar de sair. Preciso de você para aprender mais sobre cultura e política, porque é mais fácil absorver todos os ideais de uma pessoa que confio ao invés de ir buscar os meus próprios. Preciso de você para satisfazer minhas necessidades sexuais. Preciso de você para não ser o único(a) da turma sem namorada(o). 
     As relações de hoje não são sobre confiança e troca de experiências, respeito, admiração e carinho. As relações são basicamente como um sistema de manipulação. Quem manda na relação? Quem está certo? Quem está errado?. Eu te dei isso, agora você vai ter que me retribuir, eu te fiz isso agora você me deve. Daí nem parece mais uma relação humana, parece um tribunal de contas: Você se lembra quando me fez isso? Poise agora vai ter que me pagar. As relações são um conflito incessante de quem é melhor, existe uma competição entre o casal, o mais bem sucedido, o mais inteligente, quem tem a família mais respeitável. São baseadas em quem tem mais influência para mandar, para saber pra que lado o relacionamento vai, tem sempre alguém conduzindo, alguém manipulando. São cheias de vingança, mentira, deslealdade, traição. 
     As coisas deveriam ser mais que apenas a vontade de não ficar só, de não ser só. Qual é o problema da solidão? como diz uma frase do Charles Bukowski: " Existem coisas piores que estar sozinho ". E como existem. Sabe o que é pior que a solidão? Projetar toda uma vida fantasiosa de sonhos em cima de outra pessoa e depois que tudo dá errado, a culpa ser da outra pessoa. Porque a culpa nunca é sua, sempre é dá outra pessoa. É por isso que as pessoas nunca crescem, não evoluem, não transcendem!. As pessoas não possuem autoconhecimento, não sabem o que realmente querem, vão seguindo padrões culturais repetindo tudo o que lhes disseram ser certo, e então querem partilhar nada, porque não tem nada para compartilhar, não aprenderam nada!. Daí querem ter opinião, querem te ensinar a atrair um parceiro! Querem te dizer que ser sozinha não é normal, que você precisa saber como conviver com outra pessoa, porque senão vai acabar só.
     Meus queridos ser só é uma bênção! Pensem só em toda a liberdade que você tem, nada de compromissos, nada de exigências, cobranças, mau humor, problemas causados por outra pessoa. Nada de reclamação, decepção, frustração, dor, depressão. Tudo bem, pra que serve a vida então? Se não passamos por essas coisas? Então viver para quê? Tudo o que sei, é que se você não souber viver para sí mesmo, não se amar acima de todos e não precisar de ninguém para se sentir bem, jamais vai saber ter um relacionamento verdadeiro e duradouro. Se você precisa do outro, tem algo de errado com você. Se você ama mais ao outro do que a você mesmo, não vai dar certo. E se você dedica toda a sua vida para outra pessoa, aí então está tudo perdido mesmo. Não estou aqui para ditar regras, nem para ensinar nada, eu não sei nada, sou inexperiente e imatura. Mas sei que uma relação precisa ser sobre compartilhar e não sobre singularidades, precisa ser sobre liberdade e ainda ser sobre compromisso, precisa ser sobre não precisar e ainda assim querer, sobre aprendizado, sobre sentimentos, sobre franqueza, sobre compreensão, harmonia.      As pessoas precisam se conhecer, se amar e se valorizar para terem condições de oferecer isso para outra pessoa. Ou não estão prontas. Então pare de dizer que é uma obrigação, que é um objetivo de vida, de que é o sentido da vida! Porque não é, e não pode ser. A vida é muito mais do que a família que você constitui, ou o conhecimento que você adquire, ou as coisas que você conquistou. A vida é uma eterna experiência e evolução pessoal, só você pode escolher o sentido que quer dar a sua vida. Atribuir o sentido da sua vida a outra pessoa é tolice, é estúpido e patético. Ao mesmo tempo, viver para sí também pode ser patético, ambas não tem serventia, a vantagem é que a segunda opção não altera a vida das outras pessoas, o que pode ser sábio ou covarde. Depende do ponto de vista. 
     Lhes digo que é absurda a ideia da procura de alguém. Não há como procurar a pessoa certa, não tem porque viver sob esse estigma de conseguir um parceiro, essas coisas são naturais, essas coisas simplesmente acontecem, então porque fazer disso um objetivo? Uma motivação de vida? Tenha indepêndencia para você, para que você possa usufruir de conforto e estabilidade. Faça as coisas por te agradarem, por te fazerem bem, busque coisas para acreditar, coisas que te inspirem, conheça lugares, conheça culturas, conheça você. A única coisa que realmente depende de você é o rumo que sua vida leva, então a conduza e não se deixe conduzir, e não se deixe levar, seja o condutor e dono da sua vida. E se eu ganhar solidão com tudo isso, que venha! Aceito todas as consequências das minhas escolhas, aceito a solidão, aceito o amor, aceito o que for verdadeiro, real e sincero. Aceito a dor, aceito o que tiver que ser, afinal não há muito o que eu possa fazer sobre isso. Não tenho medo, posso lidar com os arrependimentos que são dirigidos a mim, mas não posso lidar com os arrependimentos que forem direcionados a outra pessoa, por isso me condeno a solidão de antemão. Pensem o que quiserem, mas apesar de muito do que eu disse já ter passado pelas cabeças de muitas pessoas, achei que merecia dar voz a esses pensamentos.

Mariana Carolina.

23 de jun de 2014

MONÓLOGO.

 

 
  Eu só queria dizer
  Que não é culpa minha
  Eu não escolhi
  Eu não decidi
  É tudo apenas um reflexo biológico
  O que posso fazer?
  Meu corpo foi tomado pela dopamina
  Sou escrava da reprodução humana
  E agora meu cérebro não pode se livrar da substância
  Afinal eu estou drogada
  O funcionamento do meu corpo foi alterado
  É como se eu estivesse sob o efeito de uma heroína
  Só que talvez essa droga seja ainda mais nociva
  Como saber?
  Quantas loucuras e despropósitos imbecis não são causadas em nome dela?
  Doce ilusão é essa de que você pode escolher
  De que pode se conter
  De que não irá meter os pés pelas mãos
  De que sua racionalização vai te impedir de sentir,
  Uma ova que vai!
  Na verdade muitas vezes é ainda pior.
  Te faz sentir culpa,
  Culpa por saber que não é nada demais
  Mas mesmo assim, você embeleza isso 
  Engrandece
  Faz um drama inexistente 
  Recria um personagem
  Culpa por sentir.
  Então que se dane a culpa
  Que se dane a dignidade de não ser ridículo
  Sinta! E sinta de novo!
  E não espere reciprocidade
  Não espere sentimentalismo
  Não espere nada!
  Mas se deixe sentir
  Admita! Não negue
  Mentir pra si é mais difícil
  Fica complicado se encarar
  Ter vergonha por si mesmo é desnecessário
  Uma hora isso passa
  Uma hora a poeira abaixa
  E a calmaria retorna
  A calmaria confortável e tediosa
  Essa sempre volta!.
  Mesmo sabendo como as coisas são
  Mesmo conhecendo as pessoas
  Mesmo sabendo que não vale a pena
  Eu tento
  Sou estúpida?
  Qual o meu problema?
  Eu quero saber no que dará
  Eu quero apostar
  Pagar pra ver
  Desafiar a sorte
  O universo
  A minha vida
  E isso é por mim
  E esse esforço acaba sendo por mim
  Então por que me envergonhar?
  Ultimamente tenho abraçado meu ser
  Deixando ele ser
  Deixando acontecer
  Indo lá e pegando
  Apesar dos platônicos ainda serem a minha relação humana preferida,
  Tenho uma curiosidade
  Quero experimentar
  Quero ter razão quando o errado chegar
  Vou poder continuar dizendo:
  - Eu sei no que isso vai dar
  - Eu sabia que aconteceria assim.
  É realmente difícil algo que envolva um ser humano me surpreender
  Não espero me surpreender,
  Eu tô jogando pra perder.
  Eu sei que vou acabar perdendo alguma coisa
  sempre perdemos alguma coisa
  Será que ganharei algo?
  A experiência me basta
  Aquela que vou poder usar pra dizer:
  - Não faça isso novamente!
  Eu na verdade tenho facilidade em me despedir das coisas
  Vejo beleza em deixar as coisas irem pra longe...
  Se esvaindo do meu ser.
  Eu me preencho do inexistente.
  Não sei me preencher com algo real
  Não sei se é algo bom
  E não acho que precise me preencher de pessoas.
  Eu sou um andarilho a procura do meu próprio ser
  Não posso me buscar se estiver acompanhada 
  Isso quer dizer que eu me perderia se achasse alguém?
  O que isso significaria para mim?
  A doce solidão!
  Aquela que você chega até a odiar
  Mas é parte de você
  Como um membro da alma
  Como um amigo imaginário, só que este existe mesmo.
  Solidão que me acompanha
  Solidão que me completa
  Como um sentimento que é na verdade a falta de algo 
  Te acompanha? Te completa?
  O paradoxo da minha vida.
  A solidão é o meu algo a mais de concreto
  É o refúgio do meu ser
  Solidão eterna é o que me espera
  Todos os meus caminhos me levarão de encontro a ela.
  Eu já sei disso
  Eu aceito isso.
  Não fugirei 
  Estarei te esperando
  Solidão.
  Minha melhor amiga.
  Companheira.
  Meu peso
  Minha dor
  Meu desalento
  Minha melancolia 
  Minha redenção silenciosa.
  A cada dia chego mais perto de ti
  A cada dia a sinto mais em mim.
  O que acontecerá quando eu me impregnar de você?

Mariana Carolina.

17 de jun de 2014

ENSAIO.


   Olá, ei! É você mesmo!
   Pode me dizer por que está assim?
   Cansado? É acho que isso todos nós estamos.
   Mas por que não faz algo pra mudar?
   Por que aceita essa realidade em que vive?
   O que? Você não acha que pode fazer algo?
   Bem, digo a você
   Que tudo o que você é,
   Foi por completa responsabilidade sua
   Não concorda não é?
   Não há como negar caro amigo
   Está tudo bem na sua frente!
   Não há nenhum culpado a não ser você
   Tudo bem, aceitando a atual situação
   O que fazer agora?
   Agora que assume a vida em suas mãos?
   Há algo que você realmente queira?
   Existe algum desejo dentro de você?
   Se não se sabe, se não se tem certeza
   É simplesmente porque não há nada
   Nada que queira, nada que o motive
   Nada que o faça sentir positividade
   Sobre estar vivo.
   E estar vivo é positivo?
   Ouço vivos reclamando o tempo todo
   Mas os mortos parecem mais satisfeitos
   Tanto que nem se incomodam em opinar em nada
   Isso é paz? Afinal a paz existe?
   E existe alguma coisa que não tenhamos dúvidas?
   Por que tudo para mim é apenas uma especulação de verdade
   A vida mesmo as vezes não me parece real
   Quando você se olha no espelho reconhece a si mesmo?
   A impressão que tenho quando me vejo refletida
   É apenas a de que estou presa dentro de um corpo que não é meu
   Parece que o que sou por dentro
   Não se parece em nada com o que apresento fora
   Não é nada de falsidade ou fingimento
   É apenas uma sensação de inexistência
   Parece que não existo quando me olho
   Começo a olhar para o meu corpo e me sinto aprisionada
   Acham que eu preciso de uma avaliação psicológica?
   Lhes digo que tenho plena consciência da minha loucura
   No entanto, não pretendo tomar remédios para inibir minha insanidade
   Isso é o que sou, estou sob controle
   A maior terapia do mundo é aguentar um bando de débeis todos os dias
   E ainda ser você o louco da geração.
   Mas tudo bem, está tudo em seu lugar
   Quem espera a justiça num mundo condenado
   È pior que um louco, que sofre pelas coisas e pelos outros
   Ao menos meu sofrimento é sobre mim, é por mim e por nada mais.
   Eternamente insatisfeita serei
   Porque meus sonhos nunca cessarão
   E ainda assim continuarei com eles
   Fazem parte de mim
   Sem meus devaneios não sou nada
   Nem mesmo uma louca
   E prefiro ser louca
   Do que ser um normal, enquadrado e alinhado
   Prefiro ser louca
   A uma acomodada medíocre, que espera pouco
   Se satisfaz com pouco, e acha que o pouco é natural
   Talvez seja
   O natural real preenche as pessoas?
   Eu realmente não consigo entender
   Porque nada disso me sacia
   Nada mesmo, nem ao menos me distrai
   Querer demais é uma maldição
   Esperar grandes coisas é uma catástrofe
   A grandeza é inalcançável
   Mas somos loucos
   Queremos o inalcançável, o inatingível, o infinito
   Um sinal poderia ser suficiente
   Mas sabemos que ele não chega
   Os sinais não existem
   São ilusões criadas para dar um sentido inexistente
   Ao passar de nossos dias
   Por que continua então?
   Por que está tentando?
   Por que não desiste?
   Porque já é tarde demais para qualquer coisa meu caro.
   Porque a essa altura de minha vida, já aceitei minha existência.
   E não há nada a se fazer
   A não ser esses textos melodramáticos de efeito existencial.
 
   Mariana Carolina.

29 de mai de 2014

SAUDADE.


   Sinto falta do seu beijo precipitado, do seu perfume ruim, da sensação áspera de quando sua barba começa a crescer e o seu rosto encosta no meu. Do seu abraço desajeitado, do jeito como você segura meu corpo contra o seu quando estamos perto. Sinto falta da sua voz rouca causada pela excitação de quando estamos a muito tempo sozinhos. Sinto falta dos seus olhares surpresos e desconfiados de quando faço algo que você não estava esperando. Sinto falta de deitar sobre seu peito escutando as batidas do seu coração. Sinto falta das conversas íntimas, que você afirmava não ter com mais ninguém. Queria que o mundo fosse nosso por apenas 10 minutos, sem julgamentos alheios, sem certo nem errado, sem convicções de terceiros interferindo, queria que apenas nós existíssemos por dez minutos, e assim pudéssemos ser e fazer o que quiséssemos. Imagino o que você faria comigo durante esse tempo, se as consequências não existissem, assim como o passado que é apenas uma história. O futuro também não existe, tudo que nós temos são esses dez minutos presentes, tudo o que podemos ser, só podemos ser agora! Isso é tudo o que temos!.
     Você ainda vai confiar em mim amanha? Onde você imagina que nossas vidas nos levaram? Quem você acredita que fará parte dela?. -Sei que não pensa nessas coisas, sei que te faço pensar em coisas que não quer, mas acredito que esse seja o meu papel, acho que preciso impulsionar as pessoas a melhorar. Infelizmente não para mim, acho que não tenho ninguém pra mim. Acho que sou apenas uma mulher solitária, com uma escrita ruim, mas fico feliz em ter sua admiração. 
    Essa era apenas uma carta de saudade, pois sonhei com você hoje; mas pareceu mais de despedida. então...Adeus e Boa sorte!.

Mariana Carolina.

15 de mai de 2014

CARTA: OCULTO INEXISTENTE.


     Olá! Tenho certeza de que se viesse a receber esta carta não entenderia nada, acharia que foi engano, ou que existe uma pessoa louca atrás de você. Mas esta jamais será lida por você, você nunca terá o prazer de saber o quanto foi apreciado por mim. Bem, de qualquer modo você talvez ficasse assustado, e não seria essa a reação ideal.
     Só posso dizer que fico feliz por certas coisas que eventualmente você me trouxe, mesmo sem ter a menor intenção de fazê-lo. Estou aqui para dizer que você me deu o melhor abraço da minha vida!, mesmo depois de todos esses anos nada nunca foi como aquilo: natural, terno, carinhoso, despreocupado, espontâneo, íntimo, e sobretudo real. Foi como se um de meus devaneios tivessem tomado vida bem diante de meus olhos, a única vez em que a realidade foi melhor que uma fantasia de minha mente, talvez por isso eu valorize tanto essa memória. Quer dizer foi apenas um abraço, que você nem ao menos deve se lembrar, foi algo tão simples..., acho que as coisas simples são as mais significativas porque são coisas que não prestamos atenção, sempre passam despercebidas por nossos olhos cansados e desatentos, mas se essa simplicidade se faz notar e marca, se torna algo inesquecível. Só posso dizer que ganhei meu dia com aquele abraço preguiçoso na cantina, foi apenas uma forma de cumprimento, você brincando com a minha blusa de frio cobrindo minha cabeça com o capuz, chegando por trás de mim, eu apenas me virei sorrindo, te abracei e você me abraçou de volta, terno, e depositou um beijo em minha testa e assim ficamos por segundos suspensos, num abraço tão verdadeiro e tranquilo que fez dessa a minha melhor lembrança de você!.
     Você fez parte dos meus melhores devaneios por três anos. Ainda me lembro que você foi a primeira coisa bonita que vi naquele colégio, ainda no primeiro dia de aula te vi e jamais esqueci. Você estava fumando com seus amigos no pátio, próximo a passarela que levam as escadas, com uma postura corporal indiferente, de boné aba reta vermelho com seu estilo skatista. Eu te observava do 2º andar do colégio, nesse tempo ninguém percebia que estava sendo observado.
     Sei que o imaginei como quis, sem que houvesse alguma veracidade nisso, sem levar em conta o que realmente era, mas veja isso não era importante para mim, eu gostava de lhe enxergar a minha maneira, era como se algum dia você pudesse se tornar aquilo. Não é como se eu esperasse por isso, jamais acreditei que meus devaneios se materializassem em meu mundo real, você não precisava fazer nada, eu só gostava de te observar de longe... - Como sorria, como beijava sua namorada, como conversava com seus amigos. Mas você começou a notar minhas observações e então nem mais te olhar eu podia, seria estranho se eu continuasse. Ainda assim você sempre foi muito gentil comigo, tínhamos conversas engraçadas; sua namorada parecia me odiar, me distanciei de você, e sinto muito pelos cumprimentos desnecessários e ás vezes constrangedores que tivemos, antes fingíssemos que não nos conhecíamos e parássemos com aquilo.
     Ainda depois de tanto tempo, me lembro de você com carinho. Sempre tenho um imenso carinho pelas pessoas que idealizei, e não importa o quanto eu saiba que as idealizações são falsas, você de certa forma deu vida a elas, te recriei conforme a minha vontade, só para a minha mente solitária divagar, vivi mil vidas, dias e situações com sua imagem em cada uma delas. Era a minha válvula de escape, uma espécie de salvação mental, enquanto eu ignorava a dura realidade a minha volta. Por isso, obrigado, por mesmo sem saber ter feito parte da minha vida, você teve o melhor de mim acredite, já fui sua de corpo e alma, só não pude avisá-lo do fato. Acho que é assim mesmo, as pessoas que nos tem de verdade jamais tomam posse, e nós jamais tomamos posse delas, somos apenas um emaranhado de desencontros, e para sempre não nos encontraremos, estamos perdidos em nós mesmos, sem solução a longo prazo.
     Cuide-se, que tudo dê certo para você, sinto por não termos tido uma despedida, mas as coisas mais belas de nossas vidas vão embora sem aviso mesmo, sem adeus. Por isso acabou tudo exatamente como começou: do inexistente para o nada.

Mariana Carolina.

Foto: Annette Pehrsson Blog

29 de abr de 2014

CARTA PARA UM ANÔNIMO



         Hey garoto despreocupado, como vai você?. - Sabe você me intriga bastante, fico imaginando quantas versões existem de você, e qual delas será a escolhida para interagir comigo. Acho que a sua personalidade é meio confusa, afinal, não é um pouco estranho um garoto que curta poesia também gostar de sertanejo? Tudo bem, eu sei que é preconceito e que aparentemente uma coisa não tem a ver com a outra; mas me intriga uma pessoa com sensibilidade para a escrita (e que escreve muito bem por sinal), também ser um baladeiro pegador. Quer dizer, não é sempre que um fã de MPB e de Mário Quintana, também goste de Cannabis e luxúria..., tá, eu sei que os escritores levavam uma vida boêmia, mas ainda assim o acho contraditório. Talvez seja por isso mesmo que o ache interessante, é engraçado, devo te superestimar por coisas superficiais que eu infelizmente valorizo.
      Você é paciente, calmo, educado e tranquilo, mas por dentro parece julgar e observar a todos, parece se sentir acima de muitas coisas, é seguro, malicioso e charmoso, e não consigo encontrar traços de sensibilidade ou vulnerabilidade quando te vejo. Queria saber o que o faz perder a cabeça, o que o deixaria louco? Não consigo imaginar algo que o faria sair dessa posição centrada e focada, como se tudo estivesse cuidadosamente planejado e calculado. Ao mesmo tempo me assustaria vê-lo de outra forma, acho que me acostumei com sua redoma particular, onde só você escolhe quem pode ver através dela. Não tenho a pretensão de adentrá-la, mas não me impeço de pensar em como seria, o que tem dentro? O que esconde aí? E por que eu quero saber? Me estranho com minhas próprias estranhezas, talvez não haja nada demais aí dentro, e minhas especulações sejam completamente equivocadas.
     Eu fico mesmo é fascinada pelas possibilidades de conexão e aprendizados que temos quando nos conectamos no universo particular que existe em cada um, as vezes a ideia de conexão me consome, fico procurando sentidos inexistentes nas coisas, nas pessoas, nas situações... .
      Acho que nunca te conhecerei de verdade, então tudo nunca passará de um resquício de possibilidade; não controlamos as situações que aproximam-nos uns dos outros, é tudo natural e espontâneo, as coisas apenas vão acontecendo sozinhas sem motivos..., nossos caminhos passarão muito distantes um do outro, por mais que eu possa te enxergar de muito longe da minha rua, será apenas isso, uma visão a ser contemplada ao longe.
      Mas é assim mesmo não é? As pessoas que nos parecem algo a mais, sempre são as últimas as quais conseguimos contato, basta dizer "hey aquela pessoa do curso parece muito legal, quero me aproximar dela" para essa pessoa ir para o mais longe que poderia de estar com você. Basta querer para não ter, parece que precisamos não querer para acontecer, não pensar para tornar-se realidade, não é isso que chamam de lei de murph? Talvez você seja uma dessas leis de murph, e tudo não passe de uma extrema ironia, quer dizer, as nossas vidas são apenas coordenadas incessantes da lei, e tudo o que nos resta é admirar de longe o que poderia ter sido, e assim deixar tudo ir... .

Mariana Carolina.

Foto: RJ SHAUGHNESSY PHOTOGRAPHY

7 de mar de 2014

DIVAGAÇÃO DA REALIDADE


        Por que sempre parece que o irreal é melhor, e mais legal que a realidade? Você já parou para pensar, em como a fantasia nos fascina? Sempre que leio um livro, vejo um filme, ou mesmo uma série, é como se eu quisesse que aquilo fizesse parte da minha vida, não entendo como algo que não existe, uma história inventada, nos trás tanta vontade de fazer parte daquilo, o mundo é extraordinariamente magnífico e fascinante, mas ainda assim, o irreal, a infinidade das possibilidades as quais seriam possíveis, se todas as lendas, mitologias e contos fossem reais, parecem algo muito mais atrativo aos nossos olhos, isso para mim!. Existem pessoas que morreriam se existissem tais coisas, como lobisomens, vampiros, bruxos , super-heróis, anjos caídos, zumbis. 
       O fato é que todos, apesar de terem um certo fascínio por tais "aberrações", não conseguem nem ao menos imaginar como seria, tudo volta para o pensamento lógico, a explicação para tudo o que acontece e existe, se existe toda essa discussão polêmica, pela existência de deus, o que diriam sobre isso?, é claro que o pensamento lógico e cientifico se encontra enraizado em minha mente, mas o fato é que tudo o que foge disso é mais interessante, sentimos o mundo entediante, vazio, chato, sem expectativas, buscando por coisas que nos tirem da realidade, por isso tudo o quanto mais absurdo pareça, mais atrativo será, estão todos cansados da monotonia, da normalidade, queremos ação, o ultraje, o infinito, o surreal, não apenas nas histórias fantasiosas, mas em nossas próprias vidas, pessoas que sejam mais do que apenas civis, em estado de conformidade mórbida, queremos os que dancem sem motivos, os que cantem quando não tiver música, os que corram em meio a tempestade, os que sonhem em meio a dura realidade, os que chorem quando já não há ninguém que se importe, os que falam e gritam, em meio uma multidão surda e cega, os que vão em frente quando ninguém mais acredita, os que dizem para continuar, quando todos já te disseram para desistir, os que tem fé, fé o suficiente para ter esperança, e realizarem algo ao qual todos julgavam impossível. Os que podem fazer a diferença, quão fantasioso isso é hoje? Talvez consideravelmente mais do que a existência de zumbis. 
         E quem disse que os vampiros não existem? Estão por toda a parte sugando tudo que é vivo, valioso, e bonito, aí a explicação da falta dos três elementos..., e quem disse que não existem lobisomens? Enquanto não se sabe no que as pessoas podem se transformar ao longo das luas, e infelizmente nem ao menos a limitação dos dias de lua cheia possuímos, visto que pessoas que mudam de lado facilmente, e tem um vasto número de rostos, trazendo a falsidade a todo vapor, em todas as fases da lua. E quem disse que os bruxos não existem? Estão todos os dias confundido a população, fazendo truques para que todos esqueçamos suas ações maléficas, lançando campanhas de distração como copas do mundo, eventos religiosos, e todas as forças midiáticas unidas como magia negra poderosa!, E quem disse que anjos caídos não existem? Pessoas que se desintegram da sociedade, e querem apenas retirar, tomar tudo o que pertencem a outros, nem que para isso tenham que matar, ou mesmo, não querem obter nada em troca, apenas o prazer da realização do caõs, como podemos ver a violência avançando cada dia mais, com verdadeiros demônios por trás de tudo. E quem disse que os zumbis não existem? Se o mundo está mais que sobrecarregado de tantos seres mortos, que se fingem de vivos, mas que não fazem nada mais que existir, porque já desistiram, jogaram suas mãos para o alto sem a motivação e a coragem de conseguirem realizar alguma coisa, quantas existências desperdiçadas em nome da desistência. E por fim, como é possível que alguém diga que os super-heróis são uma invenção da cabeça de sonhadores? Se todos nós que continuamos, e acreditamos que o amanha pode ser melhor que o dia de hoje, se tentamos melhorar o mundo desde uma simples gentileza, até a denúncia de uma quadrilha corrupta, se todos os pais que insistem em mostrar o caminho ético aos seus filhos, se todos os jovens que acreditam, e fazem tudo para serem realmente o futuro de uma nação digna, estão aqui, lutando todos os dias pelo que acreditam, isso não é ser herói?.
         Meus caros sonhadores e fugitivos do mundo real para o imaginário, o mundo ao qual se escondem, e se refugiam em livros, está tão cheio de coisas assustadoras e que não parecem reais, quanto em seus livros, o mundo ao qual pertencem é tão perigoso e cheio de escuridão e adrenalina quanto o imaginado por suas cabeças, por isso, voltem, e vivam nele; as coisas não param enquanto vocês se escondem, tudo continua acontecendo, com, ou sem a participação de vocês!.

Mariana Carolina.

20 de fev de 2014

PERTURBAÇÃO DA REALIDADE.

                                                                    Foto:  http://blog.annettepehrsson.se/

   Não é triste saber como a realidade é pouco? faz da vida tão pouco, o mundo tão nada, os dias tão vazios. Por que as coisas não são como em nossas mentes? sem datas, sem avisos, sem permissão, por que as coisas apenas não são? Sem ter que significar alguma coisa, ou serem rotuladas por um nome, por uma ação? Odeio simplificações de função; tudo precisa ser chamado de algo, se não tem nome, não existe.
     Não é triste saber que viver na sua mente é mais prazeroso do que fora dela? Ah como eu gostaria, que a vida fosse tão cheia de sentido, tão cheia de acontecimentos memoráveis! Que os diálogos que passam pelas nossas mentes acontecessem de verdade, em algum lugar desconhecido..., eu só queria que tudo fosse natural, sem premeditação, sem expectativas, pois não se pode ter expectativas sobre coisas que você não sabia que viriam. Ah como seria belo se a simples presença bastasse, se o olhar dominasse, se a mente nos completasse, se a melancolia não nos abandonasse, se a banalização não existisse, se a mediocridade não fosse normal, se a desistência não fosse mais fácil, se as pessoas ao nosso redor nos trouxessem paz, e não caos, se as dúvidas não nos consumisse!
     Tudo o que eu sempre quis, é que alguém olhasse de verdade para mim!, como eu sempre faço, tudo de longe, pode ser que a poética do platônico não seja a ideia mais atraente para as pessoas, mas a beleza dessa ideia me consome, de uma forma que eu nem acho mais possível outra forma de relacionamento, acho que eu nasci pro não acontecer, pro não cumprir, não tenho vontade de tentar, eu só quero planejar infinitamente, até não conseguir mais ocupar minha mente, e começar a planejar com outra idealização, não sinto que os relacionamentos de fato existam para mim, eu existo apenas dentro de mim, e tudo o que é externo, é que não existe, tudo o que eu toco não é real, tudo o que se aproxima de mim se desfaz, como um castelo de areia. Eu sou apenas o vento, que passa sem ninguém enxergar de verdade, fica apenas o rastro de mim pelos cantos, e você pode perceber pelos detalhes, mas ninguém percebe, nunca!.

19 de jan de 2014

ANALOGIAS: A VIDA É COMO UM LIVRO.


    A verdade é que estamos em um livro incessante, com cada conjunto de semanas formando um novo capítulo, na maioria deles não acontece nada, mas como em um livro ruim ao qual você é obrigado a terminar a leitura, por algum motivo; surge um capítulo que valha a pena ser lido (ou um dia a ser vivido), quando ele se enche de personagens notáveis e marcantes, mesmo por um breve período de tempo, quando a sua história se cruza com a de outras pessoas, é como em um livro que se mistura com outros em uma prateleira, as vezes não se é protagonista nem ao menos de sua própria história; quanto a isso, vale o conselho de uma música que me tira da realidade de meu próprio livro : Todo esse ódio!, pegue essa vida e a faça ser sua! Esta é a sua história!, infelizmente você não tem o poder de escolher em qual livro gostaria de estar, infelizmente meu livro não é de romance, ao qual eu deveria encontrar um amor arrebatador que me faça esquecer de tudo, e me importar somente com esse sentimento imaginavelmente palpável de preenchimento e sentido, como se finalmente algo se encaixasse e fizesse sentido. Nem de terror, nem ao menos de drama, meu livro se consiste na solidão de uma vida imaginada e idealizada que existe em um vago espaço de minha mente, meu livro é uma poesia incompleta e interminável, que provavelmente acabará sem um final. Esse livro ao qual estamos presos depende de nós á ser escrito, ele pode ser tão lindo e leve como nas comédias contadas e representadas de shakespeare, ou tristes profundas e realistas como em livros de Victor Hugo, ou mesmo, pode apenas existir, sem nenhum firmamento de realidade concreta, como em poemas de Álvarez de Azevedo: Amar, nada mais é que sonhar! Se fosse descrever minha vida, esse provavelmente seria meu livro.

Mariana Carolina.

4 de jan de 2014

DEVANEIOS, EPIFANIAS, RECOMEÇOS.


   O que realmente aprendi nesses últimos dias, é que quando você menos espera, algo bom pode acontecer, sem querer inserir a frase clichê: "as coisas boas acontecem quando menos esperamos por elas" podemos nos enganar, dizendo que esperamos as coisas ruins para que se o algo bom viesse a acontecer, seria uma surpresa; assim preservaríamos nosso emocional, para não nos decepcionarmos, ou nos frustrarmos, por não conseguirmos algo que na verdade, não foi culpa do mundo, ou do dia ruim, mas sim de você mesmo, por não conseguirmos corresponder nossas próprias expectativas. 
    A vida é um jogo de tabuleiro infinito, somos apenas peças de um jogo que está no automático, sem jogadores comandando as jogadas, somos as peças inteligentes e auto-suficientes, portanto, reclamar, esbravejar sobre as coisas que não deram certo não vão te ajudar, colocar o motivo dos seus fracassos em uma outra pessoa não vai te ajudar, achar que as coisas vão se encaminhar sozinhas sem que você precise fazer nada, não vai te ajudar, usar as distrações banais para aliviar suas dores não vai te ajudar, e desistir do jogo, definitivamente não vai resolver nada!. Sabe o que realmente vai te ajudar? parar de maldizer a tudo e a todos, e dar um pouco de valor as coisas e a pessoa que você é, aceitar que você erra, e o fato de você parecer uma pessoa esquecida, desligada, devastada é sim sua! As coisas não se movem sozinhas, você precisa entrar no jogo, pegar a sua própria vida nas mãos e tentar todos os dias fazer ela valer a pena, fazer o esforço sincero pelo que você quer ser, e não perder o foco, e não se deixar acomodar pelas festas, bebidas, drogas e entretenimentos baratos, as coisas mudam a partir das suas atitudes, é preciso ter um pouco de fé em sí mesmo, é preciso enxergar que a vida é linda e pode ser cheia de surpresas, e existem coisas maravilhosas por vir, só é preciso paciência, persistência, e vontade!. Vontade de mudar algo que não te agrada, vontade de ser uma pessoa melhor, vontade de fazer a diferença na vida das pessoas, vontade de deixar algo de bom para sua família, vontade de aprender. O jogo de tabuleiro é um mundo de evolução, é necessário aprender a viver, para que a vida não seja apenas um peso morto, uma peça desnecessária para ser usada em sacrifício.
    O mundo pode ser incerto, cheio de contradições e hipocrisias cruéis, com injustiças lamentáveis, com pessoas monstruosas, o mundo pode ser horrível, frio, nojento, e completamente sem sentido! Todos sabem disso, mas como já dizia uma frase: "O sentido da vida, é que a vida não tem nenhum sentido", é preciso dar um sentido a sua própria vida, não vai ser mais fácil, não vai ser indolor, vai ser difícil, vai machucar, vai te perturbar, vai te sufocar!, mas "não chore por desistir, chore por continuar", a certeza, é que, se conseguirmos gostar de quem somos, e trazer qualquer diferença a nossa volta, valerá a pena, "gente boa precisa de uma oportunidade", dê uma a sí mesmo!


Mariana Carolina.